Gestão de Pessoas na Crise do Covid-19

Gestão de Pessoas na Crise do Covid-19

Sinapse Finance – Cobertura COVID-19

Ao longo do desenvolvimento do contágio da Covid-19, muitas empresas viram seu faturamento cair drasticamente, levando empresários e gestores a se preocuparem com o equilíbrio financeiro de seus negócios.

De acordo com o Ministério da Saúde as informações sobre o vírus ainda são muito limitadas. Dados sobre transmissão, grupo de risco e letalidade ainda são incertos, portanto, as medidas preventivas podem ajudar a conter o avanço da doença até que se tenha mais informações e se consiga controlar a situação.

As empresas devem estar atentas ao bem estar de seus colaboradores, já que o cenário atual pode provocar uma onda de preocupação e ansiedade. Antes de tudo é necessário se munir de informações, manter-se atualizado e buscar possíveis respostas para os questionamentos que surgirão.

Para isso fizemos um compilado de informações importantes, focando na área de gestão de pessoas, que podem auxiliar gestores a se organizarem nesse momento crítico dentro das empresas e facilitar a tomada de decisão durante toda a quarentena do Covid-19.

Gestão:

Algumas questões podem ser pensadas antes mesmo de envolver toda a equipe:

– Como meu negócio pode se adaptar ao momento atual, minimizando atrasos e problemas no funcionamento da empresa?

– Quais são meus funcionários-chave, que influenciam diretamente no negócio?

– Quais funcionários podem trabalhar de casa? Quais atividades ou áreas exigem a presença na empresa? É possível fazer rodízio das pessoas que compõem essa equipe?

– Qual estrutura posso oferecer para o trabalho remoto?

– O que posso fazer para oferecer segurança às pessoas que precisarem vir até o escritório?

– É possível revisar/ postergar projetos ou atividades não essenciais?

– Existe a possibilidade de departamentos/ funcionários absorverem outras funções temporariamente?

Após este passo, é o momento de analisar como colocar o planejamento em prática, cumprindo a legislação vigente.

A lei Nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020 estipula quais medidas devem ser tomadas em casos emergenciais de saúde pública. Você consegue acessar a Medida Provisória a partir desse link:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2020/lei/L13979.htm

Comunicação:

Outras iniciativas que podem fortalecer a comunicação com os funcionários, garantindo uma comunicação transparente e constante:

1) Acesso a informações e medidas de proteção, como espalhar pela empresa e meios de comunicação informativos(endomarketing) sobre a higienização correta, dicas de saúde e prevenção no ambiente de trabalho.

2) Atualização frequente sobre a pandemia a fim de minimizar propagação de fake news.

3) Pessoas que circularam por áreas onde houve casos confirmados do vírus podem acabar passando por situações desconfortáveis e sendo motivo de piada ou até mesmo serem isoladas. Manter o diálogo com todos é de extrema importância para evitar estigmas e preconceitos.

4) Comitê de crise: verificar a necessidade e viabilidade de reunir os funcionários e falar sobre desafios e problemas enfrentados durante o dia diante da mudança de rotina.

5) Identificar necessidades e demandas dos colaboradores, ter empatia com seus anseios e questionamentos.

6) É importante lembrar que a pandemia vai passar. Deixe claro que este é um momento que necessita da colaboração de todos, deve ser encarado como uma fase de aprendizado e resiliência.

Home Office:

Neste momento é indicado para a maioria das pessoas puderem realizar o trabalho remoto, não só para aqueles com suspeita de infecção, evitando assim o deslocamento desnecessário de todos e sendo fundamental para evitar que o vírus circule e chegue aos que são consideradas grupo de risco. Promover o rodízio de pessoas que precisam comparecer à empresa também pode ser uma opção, caso haja dificuldade em liberar o trabalho remoto a todos.

Para isso não é necessária a alteração do contrato de trabalho, de acordo com a MP 927/2020 (Medida Provisória) decretada em 22 de março de 2020. A medida também vale para estagiários e aprendizes: “Art. 5º: Fica permitida a adoção do regime de teletrabalho, trabalho remoto ou trabalho a distância para estagiários e aprendizes, nos termos do disposto neste Capítulo”.

É necessário ter a compreensão de que nem todos os funcionários terão o ambiente ideal para trabalhar. Para atividades não essenciais existe a possibilidade de promover treinamentos remotos ou até mesmo antecipação de férias e feriados. Nos casos de grupos de risco também pode se cogitar afastamento/ licença médica.

Segundo a medida provisória “o empregador poderá optar por efetuar o pagamento do adicional de um terço de férias após a sua concessão”.

Caso seja detectado em algum funcionário o contágio com o vírus é importante verificar se ele esteve na empresa ou em contato com os colegas nos últimos 15 dias antes do diagnóstico.

Também é de suma importância que todos os funcionários fiquem atentos aos sintomas e, se possível, busquem os exames preventivos. O local de trabalho deve ser higienizado já que não se sabe ao certo por quanto tempo o vírus sobrevive em superfícies e em partículas de poeira.

Sempre busque fontes confiáveis e atualizadas, mantenha-se informado através da página do Ministério da Saúde sobre o COVID-19.

Fique atento, pois compartilharemos mais atualizações sobre esses e outros tópicos nos próximos posts.

Até logo,

Equipe Sinapse

No Comments

Post A Comment

Privacy Preference Center

× (11) 94599.8767